Evento de Impacto

Fibra de vidro;

Dimensões variadas;

Reserva Adolfo Ducke - Manaus (BRA);

2018.

EVENTO DE IMPACTO 

 

As estruturas rígidas e opacas feitas em fibra de vidro, idealizadas para pender nos cipós das árvores e permanecerem soltas pelo chão da mata, é a concretização de um longo processo de manipulação de materiais e deslocamentos feitos na busca de uma experiência, literalmente, universal.

As cascas endurecidas e rochosas simulam a presença de um elemento espacial, de uma grande pedra que tenha realizado o percurso das estrelas e planetas. 

Invocar estas estruturas e falar de suas viagens pelo espaço infinito nos faz lembrar da própria origem de coisas extremamente familiares à nós, como a própria Lua, satélite que nasceu a partir de uma colisão entre corpos celestes no princípio da história da Terra.

No entanto, a concepção das estruturas que compõem Pontos de encontro está longe de ser um processo tão “natural” quanto a queda de um meteoro. E não por acidente.

De início, passamos pela criação de um positivo, formado por um esqueleto plástico, tecidos, adesivos para o enrijecimento. Camadas de fibra de vidro envolvendo esta estrutura conceberam um primeiro elemento e, a partir deste, foi possível a obtenção de várias estruturas praticamente idênticas, num processo manual que visa o múltiplo. 

A rigidez desses elementos passa longe da resistência de minerais como ferro e níquel, que compõem meteoros e meteoritos. No entanto, aqui surgem em referência a um fenômeno comum: o evento de impacto, ou, o encontro de asteroides e corpos celestes semelhantes com a Terra.

A esse ponto, devemos citar um contraste que é quase complementar, e é também o âmago deste projeto. O embate entre a manipulação manual dos elementos e a viagem universal da matéria faz parte da escrita de uma narrativa proposta por cada um dos cinco elementos deste trabalho. É como uma procura de uma experiência inatingível, explorar um ambiente inabitável por meios desconhecidos. É tentar fazer existir na inocência da natureza um elemento que é puro fruto da inventividade humana.

Ao mesmo tempo, é uma viagem que envolve não apenas deslocamentos entre corpos. O artista sai do seu habitat, com o objeto sobrevoa a um novo local e pousa na natureza que recebe a ambos. O objeto rígido e opaco guia uma discussão sobre história, matéria, eternidade. Fala sobre as possibilidades físicas por meios intelectuais, e vice-versa, referenciando um fenômeno tão velho quanto o tempo.

Evento de impacto é um projeto artístico que procura materializar discussões sobre deslocamentos, explorações materiais, impacto das ações humanas sobre e a própria ancestralidade do homem. 

EVENT OF IMPACT

 

The rigid and opaque fiber glass structures, idealized to be dangled from vines off of trees and remain loose on the ground of the rainforest, are the realization of a long process of manipulation of materials and displacements done in the hope of an experience that is, literally, universal. 

These hardened and rough shells simulate a presence of a spacial element, of a great rock that has followed a path of stars and planets, finding its landing in the middle of the forest. 

To invoke the existence of asteroids and to speak of its journeys throughout the infinity of space calls to mind the origins of things of extreme familiarity to us, like the Moon itself, our own satellite born from the collision between celestial bodies in the beginnings of the history of the Earth. 

However, the conception of the solid bodies that create Event of Impact is far from being such a “natural” process as a meteor crash, and not by accident.

In the creation of this piece, first, we went through the process of creating a positive, made from a plastic skeleton, fabric, and adhesives for its hardness. Fiber glass layers wrapping this structure conceived the first element and, from then on, it was possible to obtain several nearly identical structures, through a process that seeks for the multiple. 

The consistency of these elements is far from the true resistance of the minerals such as iron and nickel, which constitute meteors and meteorites. However, here there can be seen references to a phenomenon in common: the event of impact, or rather, the meeting of asteroids and similar celestial bodies with Earth. 

At this point, we must highlight a contrast that is almost complementary, and also the core of this project. The clash between the manual manipulation of elements and the universal traveling of the matter. This combination of concepts is part of the writing of a narrative proposed by each of the pieces identified in this work. It is like searching for an unreachable experience, to explore an uninhabitable environment through unknown ways. It is trying to make exist in the innocence of nature an element that is the pure result of human inventiveness. 

At the same time, it is a trip that involves not only displacements between bodies. The artist leaves his habitat, with the object, flies over a new place and lands in nature where she will receive them both. The rigid and opaque object guides us through a discussion about history, matters, eternity. It talks about the physical possibilities through intellectual means, and vice versa, referencing a phenomenon as old as time. 

Event of Impact is an artistic project that seeks to materialize discussions on displacements, explore materials, impact of human action and about man's ancestry itself.